Histórico
 03/12/2006 a 09/12/2006
 13/08/2006 a 19/08/2006
 04/06/2006 a 10/06/2006
 28/05/2006 a 03/06/2006
 21/05/2006 a 27/05/2006
 30/04/2006 a 06/05/2006
 26/03/2006 a 01/04/2006
 19/02/2006 a 25/02/2006
 22/01/2006 a 28/01/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 18/12/2005 a 24/12/2005
 11/12/2005 a 17/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005
 13/11/2005 a 19/11/2005
 06/11/2005 a 12/11/2005
 23/10/2005 a 29/10/2005
 16/10/2005 a 22/10/2005
 09/10/2005 a 15/10/2005
 02/10/2005 a 08/10/2005
 25/09/2005 a 01/10/2005
 18/09/2005 a 24/09/2005
 11/09/2005 a 17/09/2005
 04/09/2005 a 10/09/2005
 28/08/2005 a 03/09/2005
 21/08/2005 a 27/08/2005
 14/08/2005 a 20/08/2005
 07/08/2005 a 13/08/2005
 31/07/2005 a 06/08/2005
 24/07/2005 a 30/07/2005
 17/07/2005 a 23/07/2005


Categorias
Todas as mensagens
 Link


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 ESCUTE MINHAS MÚSICAS
 El Chiquito
 Greve Geral
 Maurício
 Jorge
 Hudson
 Maria Teresa
 Giovano
 Eric
 Annay
 Alex
 Cídio


 
Nada Rima
 

Maria

 

era comum para ele

acordar no meio da noite

vivia assim há meses

sempre com medo

 

cuidava de sua filha

como quem cria um hamster

ninguém sabia que ele estava lá

somente sua queridinha

 

de repente, escuta passos

do lado de fora

sua mão vai de encontro

a boca da criança

 

a porta vem ao chão

alvejado por tiros, cai.

antes de apagar de vez

vê a menina sorrir



Escrito por Ele mesmo às 19h33
[ ] [ envie esta mensagem ]



Verme

 

Mais um dia escuro

os dedos doíam de frio

os olhos pouco acostumados

a iluminação artificial

 

se distraia facilmente

com risadas e barulhos

vindo da sala ao lado

irritava-se facilmente

 

a algazarra promovida

acordava um estranho instinto

dentro de sua alma tímida

a jaula estava aberta

 

perdeu-se na raiva

de seu mundo solitário

quando voltou a si, notou

que sua boca babava sangue

Escrito por Ele mesmo às 18h03
[ ] [ envie esta mensagem ]



23:55

 

todos sabem

que andar a noite

no centro da cidade

é muito arriscado

 

e ela teria que atravessá-lo

às pressas para poder

talvez pegar o último

trem do metrô

 

sua respiração ofegante

ficou ainda mais evidente

quando escutou passos

se aproximarem cada vez mais

 

quis correr, mas suas pernas tremiam

virou-se e não havia ninguém

ficou vermelha e sorriu

de sua mente pervertida

Escrito por Ele mesmo às 10h50
[ ] [ envie esta mensagem ]



Socos

 

precisava de mais força

ainda não era o bastante

não queria fazer,

mas estavam olhando

 

o calor era recorde

socava com gosto.

o sangue escorria

pela parede branca

 

os ossos estavam à mostra

o suor escorria da testa e

misturava-se com lágrimas

era uma aposta...

 

já tinham pagado para ver e

sabiam que não sairiam dali

enquanto seu ombro

não saísse do lugar



Escrito por Ele mesmo às 15h02
[ ] [ envie esta mensagem ]




[ ver mensagens anteriores ]